sexta-feira, 17 de junho de 2016

A Vilafrancada.



"A força dos males nacionais, já sem limites, não me deixou escolher: a honra não me permitiu ver por mais tempo em vergonhosa inércia a majestade real, ultrajada e feita ludíbrio dos facciosos, todas as classes da nação com diabólico estudo deprimidas, e todos nós o desprezo da Europa e do mundo, por um sofrimento que passaria a cobardia; e em lugar dos primitivos direitos nacionais que vos prometeram recobrar em 24 de Agosto de 1820, deram-vos a sua ruína, o rei reduzido a um mero fantasma; a magistratura diáriamente despojada e ultrajada; a nobreza, à qual se agregaram sucessivamente os cidadãos beneméritos e à qual deveis vossa glória nas terras de África e nos mares da Ásia, reduzida ao abatimento, despojada do lustre que outrora obtivera do reconhecimento real; a religião e seus ministros objecto de mofa e escárnio.
Que é uma nação quando sofre ver-se assim aviltada? Eia, portugueses, uma mais longa prudência seria infâmia. Já os generosos transmontanos nos precederam na luta; vinde juntar-vos ao estandarte real que levo em minhas mãos; libertemos o rei e Sua Majestade livre dê uma Constituição a seus povos; fiemo-nos em seus paternais sentimentos; e ela será tão alheia do despotismo como da licença; assim reconciliará a nação consigo mesmo e com a Europa civilizada.
Acho-me no meio de valentes e briosos portugueses, decididos como eu a morrer ou a restituir Sua Majestade à sua liberdade e autoridade, e a todas as classes seus direitos. Não hesiteis, eclesiásticos e cidadãos de todas as classes, vinde auxiliar a causa da religião, da realeza e de vós todos: e juremos não tornar a beijar a real mão senão depois de Sua Majestade estar restituído à sua autoridade.
Não acrediteis que queremos restaurar o despotismo, operar reacções ou tomar vinganças; Juremos pela Religião e pela honra que só queremos a união de todos os portugueses e um total esquecimento das opiniões passadas."

O Infante Dom Miguel, às tropas e ao povo português.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Os 10 Mandamentos do comentador responsável:

01 - Não serás excessivamente longo.
02 - Não dirás falso testemunho.
03 - Não comentarás sem deixar o teu nome.
04 - Não blasfemarás, nem invocarás o nome de Deus em vão.
05 - Não te desviarás do assunto.
06 - Não responderás só com links.
07 - Não usarás de linguagem profana e grosseira.
08 - Não serás demasiado curioso.
09 - Não alegarás o que não podes evidenciar.
10 - Não escreverás SÓ EM MAIÚSCULAS.

Obs. A moderação de comentários está activada, portanto, os vossos comentários só ficarão visíveis após aprovação da administração.

Não serão aprovados comentários de autores anónimos.